quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

WHISPERS


Hoje é dia de emoções e de partilha...
Enviado pela minha prima e gostei tanto. Espero que gostem:

E agora?
Agora, digo-te que as pessoas são como ilhas e as suas consciências um território. Algumas metem água...afundam-se. Outras...
Espera...! Eu sei que isto são lugares comuns. Mas tu sabes... Eu sei que tu sabes que eu sei :) que o mundo precisa de mais do que isto, mas depois, só nos aceita, só nos dá colo, se formos um lugar comum... Queres ser entendida? Tens que ser um lugar comum.
Shiuuu, aprende a guardar -te das luas do mundo.
E escuta, eu também sei que tu sabes, que eu sei :) que a vida é a bagagem mais desarrumada e valiosa que temos e que o amor é um oxigénio de composição rara.
Ui, amar é existir no lado de dentro, é esventrar a banalidade. É ficar gigante. Amar é nascer muitas vezes sem sangue e sem dor. É encontrar. É devolver. É mergulhar. É ser.
Coisa rara. O amor, claro. E aqueles, tantos, que vivem uma vida inteira sem amar?  Mesmo.
Esses não sabem porque já não sonham que o principio de tudo é dentro de nós...Têm medo.
Ah, o medo. Eu conheço-o. Um dia olhei-o nos olhos. Sabes quanto tempo ele me enfrentou? Oito longos anos. A besta desafiou-me oito longos anos. E sabes como se foi embora? Deixei de o alimentar. Simplesmente não lhe servi a minha alma, nem os meus sonhos. E foi-se. Rápido. Veloz, inútil. Agora, sirvo-me em taças, é que o medo desorienta-se com a beleza e com a elegância.
Depois há a dor. Essa é tramada. Tu sabes...Eu também. Mas, fácil. Muito fácil lidar com ela.
Espera: não, nunca, jamais lhe ensines um caminho. Troca-lhe as voltas. A sacana tem cá uma memória. É do hábito. Como vive do passado... Por isso olha sempre em frente como se houvesse algures uma saída, uma solução...isso ela não entende. Não é o seu ADN.
Bem, tenho que ir. Esta falta de tempo...Desculpa.
Queria escrever-te uma carta. Queria que essa carta fosse especial. Bonita, fluente, mas o que queria mesmo é que as minhas palavras fossem como abraços . Que te sentisses abraçada. E sabes porquê? Porque te adoro.

2 comentários:

  1. Um dos teus melhores textos!!!!
    Ammar...para quem nao tem medo de naufragar!!!

    ResponderEliminar